Dr Chris Walley

Coordenador de projetos de ciência e preservação da região mediterrânea

Chris Walley (Alison Walley)

Chris trabalha em tempo parcial em Les Courmettes, um dos centros d’A Rocha no Sul da França. O trabalho de Chris é ajudar a coordenar os projetos de ciência e preservação na região mediterrânea. Atualmente eles envolvem A Rocha França, A Rocha Líbano e A Rocha Portugal, mas outros projetos potenciais existem. Ele é bacharel e doutor em geologia e trabalhou como consultor em geologia em petrolíferas e como professor universitário. No entanto, sempre se envolveu com questões ambientais. Ele passou um total de oito anos no Líbano (1980-84, 1994-96) e durante o segundo período foi um dos responsáveis pela fundação d’A Rocha Líbano. No tempo livre que possui, gosta de escrever livros de ficção e teologia popular. Ele é casado com Alison, que é atualmente uma voluntária na Rocha França.

Por que A Rocha?

O mar mediterrâneo e os ecossistemas em torno dele sempre me intrigaram. Esse é o “mar materno” dos europeus, ao redor do qual cresceu a nossa civilização. Nós deveríamos estar cuidando dele, e não o poluindo com nosso esgoto e dejetos agrícolas. Ele está ameaçado de várias formas, nomeadamente pelo tamanho da população humana. Por isso, protegê-lo é tão difícil, sendo cercado por 26-28 países, e recebendo poluição vinda de grandes rios que atravessam ainda outros países bem longe do mar.

Do que você mais gosta?

Eu preciso passar tempo ao ar livre e aqui, como no País de Gales onde vivemos até o verão de 2014, a paisagem é maravilhosa. Eu estou muito entusiasmado com a vida selvagem em Les Courmettes: o urubu Gyps fulvus e a águia dourada Aquila chrysaetos; também vi a camurça Rupicapra rupicapra (uma espécie de cabra selvagem) nos morros, e a região também é muito diversa botânicamente, com encostas orientadas a norte e a sul.

Quão amplo é o seu conhecimento de história natural?

O meu doutorado foi em paleoecologia, por isso sei um pouco sobre espécies com esqueletos duros como bivalves, corais e alguns gastrópodes, mas praticamente nada sobre grupos sem registro fóssil, como polvos e lesmas do mar.

Você escreveu uma trilogia de ficção científica e outros romances – você está preparando algum livro no momento?

Eu gostaria muito de ter tempo para escrever, mas acho que vou estar bem ocupado pelos próximos anos.

Eu não poderia fazer o meu trabalho sem…

A minha máquina fotográfica. Eu gosto de registrar todo tipo de coisa, e de capturar o momento. Também me ajuda a contar histórias em chrisandalisonblog.wordpress.com.

Peter Harris fala sobre luto no podcast Grassroots 1 nov 2020
Garantindo um futuro para Dakatcha 1 nov 2020
Últimas notícias
Relatório Anual 2019/2020 1 nov 2020
Incêndios, exploração madeireira e mudança climática 2 out 2020